10/06/2008

Eu acredito...

Eu acredito...

“Eu acredito no amor, por exemplo, mas não acredito que o amor seja solução pra nada. O amor é uma porta para as piores encrencas e para o cardiologista mais próximo. É o que eu acho. Mas que ele existe, até mais que as bruxas, existe. Eu não acredito em felicidade, mas também não acredito em suicídio, porque ainda acredito no próximo porre ou no próximo livro desesperançado que vou ler. Mas respeito os suicidas, é claro, e acho uma sacanagem da Igreja Católica punir os caras que se cansam da encrenca toda. Alguns bebem até morrer, como Kerouac, ou fumam desbragadamente como John Constantine. Tanto faz, tem um demônio rindo atrás da asa do nosso anjo protetor.”

Mario Bortolotto, em mais um daqueles textos matadores. Vai lá e vê na íntegra

Um comentário:

adri disse...

que bom, alguém (e não um alguém qualquer) acredita nessas coisas importantes, mesmo que elas não sejam soluções para porra nenhuma...~ás vezes acho os suicidas e me sinto covarde diante disso... em outras vezes nem no próximo livro eu acredito e largo no meio...já os porres, hoje em dia, deixo pros de estômago mais forte e sigo ouvindo mais um som, sem falar com ninguém.