10/28/2008

Nada de novo no front....

Parece que rolou uma treta com o Marlene e os Dietrichs lá no Hangar nesse último final de semana. Pelo que entendi os caras tavam programados pra tocar, mas foram limados pelo pessoal do bar porque não venderam ingressos antecipados em quantidade suficiente. Taí um belo retrato da realidade do independente curitibano. Isso que estamos falando de uma banda que reúne alguns dos caras mais escolados e profissionais desse nosso mundinho do rock local. O Ferreira colocou um post lá no blog deles do qual eu faço questão de reproduzir aqui alguns trechos principais, e assinar embaixo.

“Fomos preteridos por não termos garantido o lucro do bar com ingressos antecipados (!!). Peraí!!! Somos músicos e não bilheteiros.”

(...)

“Curitiba está ficando difícil pra nós que não temos saco pra aceitar migalhas. Em menos de 1 ano de banda riscamos 2 bares do nosso mapa por desrespeito.”


Não é a toa que o OAEOZ, mesmo tendo lançado dois discos em 2008, só fez um único show oficial este ano, justamente no TUC, produzido pelo pessoal da Grande Garagem que Grava. E que eu não me sinto nem um pouco animado de sair atrás de tocar nessas condições que a gente vê por aí. O foda é saber que essa situação não vai mudar nunca, enquanto tiver gente disposta a ser desrespeitada em troca de um espaço pra tocar, mesmo que seja pra tocar pra ninguém, sem nenhuma condição técnica, e só pra queimar a cara. Do jeito que vai o negócio vai ser fazer festa pros amigos ou ficar tocando violão em casa mesmo.

Pra quem quiser saber mais, vai lá no blog deles, ou veja aqui na comunidade do orkut.

2 comentários:

giancarlo rufatto disse...

ah, mas vai querer esperar o que do hangar?

Ivan disse...

se fosse só o Hangar tava bom. era fácil. mas o mesmo acontece em outros lugares que vc conhece bem, eu nem preciso citar aqui um certo show de certos dois caras que não aconteceu em um certo bar.