1/18/2007

Ruído Corporation no Korova e a reabertura do 92

Do Jornal do Estado

Banda curitibana vira residente no “bar do Claudião” e JR Ferreira reabre o espaço que é referência em rock alternativo brasileiro

Adriane Perin

Foto: Franklin de Freitas
A turma da banda Ruído mm, que agora é residente no Korova e começa temporada no sábado

É sempre bom ver sangue novo se organizando para contribuir com a arte local. E nessa vida do faça-você-mesmo pessoas com vontade de trabalhar são sempre bem- vindas. Por isso é uma boa notícia, ver que começa a se concretizar uma nova parceria que pretende produzir mensalmente shows alternativos, no novo Korova Bar.

E, já que o assunto é independente, outra excelente notícia se confirmou esta semana - pena que a estréia dos dois projetos será no mesmo dia, o próximo sábado, dia 20. É a reabertura do 92 Graus - espaço curitibano lendário na história da música independente brasileira que agora volta a ser palco para as bandas, depois de um ano fechado. O novo endereço é nas redondezas da Praça do Gaúcho e o “test drive” vai ser com Popelines, Dalilla, Kompressores e Claudio Evecos, a partir das 20 horas. JR Ferreira, o músico e dono do lugar, adianta que não é, ainda, a inauguração. As obras para deixar o bar do jeito que a gente gosta estão a toda e a noitada do sábado é só aquecimento.

No Korova, a empreitada é com a banda Ruído/ mm que começa neste sábado, sua residência no bar, sempre com um grupo de destaque do circuito independente brasileiro como convidado. Na estréia, os curitibanos recebem a catarinense Colorir. A lista dos sonhos dos rapazes, não é fraca não, e contempla algumas das melhores bandas brasileiras da atualidade. Vê só: La Carne, Ludovic, Blue Afternoon, Hurtmold, Grenade, Constantina (MG), Daniel Belleza, Input Output, Madeixas, Jumbo Elektro e Pí.
A turma, que tem à frente da correria André Ramiro, integrante também do duo Índios Eletrônicos, decidiu meter a mão na massa para acabar com essa história de que “são poucos os corpos que suam em favor dos bons sons” em Curitiba. “Sabemos do potencial da cidade, sabemos das novidades da noite que abrem a cada mês nos mais inóspitos pontos e sabemos das inúmeras cabeças pensantes que integram esta faminta cidade, em busca de mais arte e de algum reconhecimento”, argumenta Ramiro, apresentando a “plataforma caótica de pensamento” da recém nomeada entidade Ruído Corporation. A idéia é simples, o que vai fazer a diferença, é a continuidade.
A inspiração, assumida, são as noites na paulistana Millo Garage, da gravadora Peligro, que que costumam não se prender a sonoridades óbvias. “Todos sabem que as bandas que lá tocam são de qualidade, assim o público pode ir de olhos fechados, sabendo que bons sons ouvirão. É o que queremos fazer aqui”, conta Ramiro, lembrando que a trupe do coletivo Ainterlux Arte Livre, também vai dar as caras nas noitadas, com vídeos, performances, pinturas, colagens, enfim, arte pela arte.Outro detalhe legal, serão os cartazes. Para aumentar a atratividade foi convidado o artista plástico e músico DW para fazer os 12 cartazes das festas, que ao final, comporão uma História em Quadrinho. “As pessoas que se interessam pelo universo das artes visuais terão um prato cheio para suas coleções. Assim, também imaginamos atingir públicos em livrarias, cafés, cinemas, sebos, enfim, não serão somente cartazes postados em bares”, comenta Ramiro.

Serviço:
Ruído e Colorir. Dia 20. R$6 Korova Bar (Av. Batel, 906).
Popelines, Dalila, Kompressores. Dia 20 às 20h. R$5. 92 (R. Benvindo Valente, 280).

3 comentários:

ramiro disse...

gracias hermanos!

Leo Vinhas disse...

Cara, por essas e por outras que Curitiba se faz merecedora do mito, mesmo que os curitibanos o neguem. Longa vida ao 92º e às bandas boas que passarem por lá!

Ivan disse...

pois é leo. o JR não desiste. o cara tem mil vidas. eu não fui ainda mas me disseram que o lugar é bem legal. torcemos para que vingue. abraço.