4/17/2009

"ô crianças, isso é só o fim"

Sabe quando você faz um esforço tremendo para mudar as coisas, mas depois que consegue, percebe que acabou ficando na mesma, e que a tal mudança que você tanto almejava não te levou a lugar nenhum? Sempre me lembro de um quadro de um antigo programa de humor da TV, onde um personagem de um político tinha como bordão: “nem que for pra pior, nós vamos melhorar”.

É mais ou menos assim que me sinto, como um cachorro correndo atrás do próprio rabo. E o pior é que já não vejo mais perspectivas de que isso mude (olhaí de novo). Deve ser algum tipo de karma, seja lá o que for isso. Estou quase me convencendo de que essas filosofias segundo as quais a gente tem que se conformar e aceitar as coisas como elas são estão certas. Afinal, parece que nada adianta nada mesmo. Estamos todos condenados. “A humanidade caminha sobre cadáveres”. “Deus está morto, Marx morreu, Freud morreu, e eu mesmo não me sinto muito bem”.

Me sinto simplesmente empurrado pelos acontecimentos, horas, dias, compromissos, como se eu mesmo nem existisse, apenas um corpo carregado pra lá e pra cá, esperando o tempo passar, e a hora derradeira chegar. Cada vez mais “rezo por uma pausa de todo o pensamento”, mas essa pausa nunca vem, ou se vem, não resolve nada, porque quando ela acaba, os velhos problemas continuam lá, zombando das nossas ilusões, nossas esperanças vazias.

Não há mais saídas. Não há mais nem mesmo vontade de procurá-las. Nem motivos para encontrá-las. Só o arrastar de um corpo gasto e cansado, até o fim dos dias. “Quem vai achar a diferença, se a verdade se repete como farsa, no fim”.

5 comentários:

Túlio disse...

Lembrei do Soneto da Desesperança do Vinicius....

Panda disse...

quando eu fico desse jeito escuto "all we need is love" e melhora!

Anônimo disse...

Há uma saída sim. A música!
A gang de Frankfurt foi quem disse, não eu...então deve ser verdade.

adivinha disse...

"só me deixe aqui quieto, que isso passa".. isso me deu enorme vontade de sentar num canto ouvindo os mais belos discos da legião... quando eu to assim, eu choro... muito, me derreto de chorar sozinha...mas, isso é coisa de mulher, né!?
é um anjo triste que baixa perto da gente... mas cuidado, também pode ser o diabo...Lembre-se. e escolha: a louca, a lúbrica, você tem que escolher!!!
haha: A música, sempre ela.

Ivan disse...

o problema é justamente esse. nem a música, o "último refúgio", não tá dando certo mais. e agora?