12/19/2008

Cassim & Barbária fecha 2008 no Wonka

Jornal do Estado/ Bem Paraná

Marcio Leonardo, Zimmer, Cassiano, Eron e Xuxu: começou com Fagundes, mas agora o projeto solo se transformou em uma “super banda”

Banda, que nasceu do encontro de músicos experientes e talentosos do meio alternativo do Paraná e de Santa Catarina, está com show agendado em Nova Iorque, em março

Adriane Perin

Preparando o roteiro pela América do Norte em março, e dividindo o tempo com a gravação de um ep para ser lançado lá, a banda Cassim & Barbaria faz hoje o último show do ano, no Wonka, quando lança também o clipe de “Catastrofismo”. É o novo projeto do curitibano Cassiano Fagundes (Bad Folks e ex- Magog), em parceria com os catarinenses Eduardo Xuxu, Marcio Leonardo e Eron (todos ex-Pipodélica) e Zimmer (Os Ambervisions). “Assumi que sou artista”,diz Cassiano. “Ainda tenho que fazer outras coisas pra sobreviver, mas não montei outra banda para ficar tocando em barzinho de Curitiba ou Florianópolis”, completa. Quando voltou a Curitiba de um longo “retiro”, há quase dez anos, ele se embrenhou por outras áreas, antes de voltar a por os pés em um palco. Agora, algo mudou. “Fiquei batendo a cabeça e quando parei pra pensar em o que é que faço bem mesmo, me dei conta que estava perdendo tempo”, avalia. “Se vou conseguir viver de música, não sei, mas vou tentar”, completa.
Cassiano mudou-se para Florianópolis por conta de trabalho, na mesma época em que recebeu o convite do jornalista Rodrigo Lariú para lançar um disco solo, o EP Ready. Só que o convite veio com uma exigência: Cassiano teria que assumir a responsabilidade de criar uma banda para tocar. Calejado da experiência de morar em uma cidade e ter banda em outra, foi direto para caras que conhecia a competência e estavam por perto. “Liguei pro Xuxu para fazer um som; ele chamou o baixista da Pipodélica Marcio Leonardo e o Eron, que também passou pela banda deles, que não tinha acabado ainda. O Zimmer tava sempre em volta e quando vi já fazia parte”.
Outra coisa que aconteceu naturalmente foi a transformação do projeto solo em projeto de banda. “Comecei a me sentir mal. Não dava para chamar de trabalho solo porque os caras tão produzindo. É uma banda, mas não exatamente uma democracia, é verdade, porque nasceu do meu trabalho solo. Mas tem vezes, como agora que estamos gravando, que eles é que mandam em mim”, observa.

A sonoridade que vem aparecendo desse encontro tem um pé na psicodelia inglesa, mas Cassiano não tem muita paciência para o clima “viajandão”. “Tem esses elementos mas tem uma piada interna para a definição: como se fosse uma banda industrial alemã dos anos 70 tocando Michael Jackson”. Eles não tinham planos de gravar agora, mas com o convite para se apresentar nos Estados Unidos e Canadá e lançar disco, tudo se precipitou para um EP. Todos estão produzindo juntos, mas “o Xuxu tem uma mão forte porque tem experiência” , diz Cassiano. A turnê está exigindo um super planejamento, explica ele, porque o custo é alto e a verba tem que ser levantada. “Temos show marcado em Nova Iorque dia 6 de março e queremos fazer uns 12 no mínimo”, diz. No meio disso, Cassiano só lamenta que a a Bad Folks fique um pouco no prejuízo. “Foi um acidente de percurso, mas está sendo bom pra mim. Em 2009 o BF volta a gravar. Com o Cassim tudo tá acontecendo muito rápido. O BF é aquela coisa mais descompromissada que vai estar sempre rolando”, garante.

Serviço
Cassim & Barbária. Dia 19. R$6 (a té meia noite). Wonka (R. Trajano Reis, 326).

2 comentários:

neri disse...

sabiam que o cassiano foi meu estagiário em publicidade? era rock'n'roll o dia inteiro e churrasco a noite (era 94/96)

ivan - me passe seu endereço que eu levo o trofeuzinho dos THEBESTUV em mãos. meu cunhado mora aí do seu ladinho e acho que vou na casa dele nos próximos dias.... ou me ligue pra você pegar na portaria do meu prédio.
]
]
neri - 9972-0080 / 9916-0001

André Ramiro disse...

Dá-lhe Cassin, sempre ultra ativo. Isso é muito legal num sistema em que as pessoas às vezes se acomodam!
Abs meus amigos e boas festas!