6/15/2007

Tinindo de bom: assim caminha a cena local

Abaixo, matéria do Jornal do Estado sobre o festival e o selo Tinidos. Aqui no link da matéria do JE também tem um vídeo com uma entrevista com a Fabiana e o Fernando, produtores do evento. Vejam lá

Festival Tinidos segue com lançamento de selo, shows no Jokers e talk-show com o jornalista Lúcio Ribeiro, na Fnac


Marcelo Urânia, Fabiana Bubniak, Fernando Souza - produtores do Tinidos

Fabiana Bubniak, Fernando Souza, Marcelo Urânia e Rodrigo Lemos se conheceram quando Fernando foi entrevistar o Rodrigo, da banda Poléxia, para o FM Zine, um blog sobre música que ele tinha com Marcelo. O encontro acabou gerando o projeto Tinidos. Fabiana, produtora da banda, entrou junto. Isso foi em 2004 e, esta semana, eles estão às voltas com a terceira edição do Festival Tinidos, em formato diferente, dividido em cinco bares, além de pocket shows, debates e talk shows na Fnac. Hoje eles colocam no mercado mais um selo independente – pequena gravadora - com a banda Ímpar lançando um single. Por hora, explica Fernando, serão lançamentos virtuais, mas em breve “vamos começar a viabilizar a dsitribuição de discos físicos também”. A produção do disco - disponível no site do selo - é de Roy Cicala, que trabalhou com Madonna, Elvis Presley e John Lennon. “Fazemos a assessoria da banda, que tinha tudo engatilhado. Somos parceiros”. Sobre o projeto como um todo Fernando diz que “juntamos forças para fazer a cena local rodar”. “O intercâmbio é importante e um festival propicia isso facilmente”. Este ano tem ainda parceria com outro bom projeto local, o Prasbandas, que faz shows em bairros, ampliando o público potencial ao sair dos endereços tradicionais da região central. O produtor Getúlio Guerra escolheu uma das bandas de cada noite, em bairros. “Se o sonho é viver de música, é preciso público, então temos que mostrar essa música pra mais gente e tocar nos bairros”, avalia Fernando. O Tinidos não tem patrocínio. “A iniciativa privada não despertou pra força deste circuito, que tem um público fiel . Se houver investimento, terá crescimento. É questão de identidade com a produção cultural local. A leis não funcionam porque é impossível fechar um festival um ano antes”, pondera. Além dos shows no Jokers, hoje tem o jornalista Lúcio Ribeiro e amanhã, Marcelo Costa, na Fnac.

Serviço
Tinidos. Dia 14. Jokers e Fnac. Para programação completa: www.tinidos.com.br

Um comentário:

marcelo urânia disse...

Belíssima matéria! Obrigado pela presença durante o festival e pelo incentivo de sempre! Valeu!