1/08/2008

bons dias

“onde vai dar essa distância que alimento a tanto tempo que esqueço como voltar(...) vivo a caça de motivos pra estar vivo, só existir me empurra pro abismo (...)” ouvir isso logo de manhã, chapada, pegando um sol ardido das 8h30 pela janela do ônibus.... chapa, sabe como? De cara na biografia de um certo jack e seu bando, então, não tem sacolejar de ônibus que traga de volta o mau humor. É só viajar na estrada e na música. Tenho o péssimo hábito de olhar pras pessoas. Péssimo, porque incomoda um olhar cravado em vc. Mas gosto de olhar, no ônibus, observar conversas alheias e (quase) rir da falta de sentido. da vida. ou seriam os mesmos sentidos que quase todas as vidas têm esses que a gente encontra nessas manhãs em ônibus que param em toda esquina?

penso nisso todo dia: “correr, fugir, me esconder, desistir, abandonar, jogar pro alto e encontrar algum refúgio longe dessa prisão. Eu penso nisso todo dia, até que vc me olha daquele jeito eu consigo adivinhar seus pensamentos e tudo parece quase fazer sentido. E tudo parece quase dizer a verdade sobre aquilo que eu nunca quis saber. (...) vc quebrou o encanto e me fez perceber que a vida se alimenta da perda que ausência é amiga do desejo, que a fome me sacia mais que o sonho . E quando a gente se abraça mesmo sabendo que pode acabar a qualquer instante (...)”.

... não canso de ouvir, não canso... o caminho até o trabalho vai entre risos soltos pra paisagem, pra acordar o dia bem, com o vento batendo no corpo, ao redor das árvores no meio do parque ou no meu quintal. (adri)

Um comentário:

Ivan disse...

pois eu já to me cansando de ouvir, ouvir e não ver isso acabar. eheheheh. vamos ver se esse ano acaba, senão como eu disse, vai virar o novo "chinese democracy"