5/05/2006

Réquiem por um sonho alquebrado

Porque será que eu tenho que me sentir culpado por sonhar, acreditar no sonho e lutar por ele? Será que é pecado ter paixão por aquilo que se gosta e querer muito, e não só querer, mas vibrar por isso e sofrer quando as coisas não acontecem? Será que estou condenado a passar o resto da vida pedindo desculpas por querer fazer mais do que apenas esperar? É triste perceber que tudo aquilo em que você mais apostou não passa de uma miragem, um castelo de cartas que pode ruir na primeira brisa. E todas aquelas promessas e tapinhas nas costas não significavam nada. Estou cansado. Ficando velho e ranzinza. E acreditando cada vez menos. E sonhando cada vez menos. E sinto que o tempo está se esgotando. E que nada pode me salvar. Me sinto como aquela pessoa que está se afogando, e quanto mais se debate, mais afunda. Talvez tenha chegado a hora de fechar a porta, apagar a luz e ficar em silêncio. Mesmo que pra mim isso signifique algo parecido à morte. Mas quem se importa? Afinal, “ninguém sai vivo daqui” mesmo.

9 comentários:

ramiro disse...

...não existe culpado, não existe silêncio, não existe tapinhas nas costas, vale a unidade familiar que anda em desordem...há de adicionar mais ânimo na máfia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! hehe
abs

Cazalberto disse...

Engraçado ler isso agora. Falávamos sobre esse mesmo assunto no bar solitário antes do show de sábado. Talvez uma coisa que nos resuma hoje seja "cansaço". Sentimos falta dos tempos da inocência, de quando você achava que tinha forças, que podia lutar contra, sei lá. Aí, passam-se os anos e nosso Dom Quixote acaba por se ligar que os moinhos são mesmo é os gigantes pau-no-cú. Cansaço. Taí o termo. Falávamos dessa coisa de mandar cd, fazer contato, emeio, festa...e o mais engraçado, esse assunto morre aqui. Porque hoje em dia tem aquela de que se vc toma partido contra, é porque você é o desiludido, o rancoroso. Então, tá. Ficamos quietos. Mas ó, não feche a porta e nem apague a luz. Por favor. Abs. Os La Carnes.

Ivan disse...

é Carlinho. tempos nebulosos se aproximam. mas algumas coisas nos salvam da mediocridade geral. o amor pela música, o companheirismo, a lealdade e a amizade de pessoas como vocês vai fazendo a gente adiar o "jogar a toalha". abração e saudades

marceloborges disse...

acho que sei do que fala. ja senti o mesmo mais de um milhao de vezes. sempre jogo a toalha, sempre jogo num canto mais ou menos seco e perto da cama. quem sabe amanha quando bater a cinza do cigarro,ou limpar a garganta daquele catarro antigo acabe usando de novo , so por mais uma vez, a toalhinha imunda de desilusao.
tamo ai meu amigo.
vo toma um porre hoje. duvido que seja o ultimo.
se cuida brother

Ivan disse...

grande Marcelo. é verdade. a gente cambaleia, as vezes até beija a lona, mas por um motivo ou outro, acaba levantando antes da contagem chegar a dez. um brinde e um abraço

rkjazz disse...

eita...ta foda, heim? faz o seguinte: toma um conhaque. melhorar não melhora, mas pelo menos vc fica bêbado. isso já é alguma coisa. abraço.

Ivan disse...

conhaque é bom, mas ainda prefiro uísque. o problema é que nem bêbado eu não consigo ficar mais. mas continuo tentando. abraço

Adri disse...

finalmente os amigos se manifestaram. me dá uma deprê ver o rosto triste do ivan do meu lados ás vezes. e já me perguntei: onde,diabos, estão os amigos que a gente tem afinal? Porque homem é assim. com a gente é diferente, a gente às vezes mete os pés pelas mãos, fala demais, mas fala, "tenta discutir a relação", pra não ficar só remoendo. muitas vezes fiquei com a impressão de que são só tapinhas nas costas mesmo. isso enche o saco, discurso enche o saco e é bem mais fácil falar do fazer.
só também já tô de saco cheio dessa coisa de "encher a cara" pra resolver. Ó, numa boa, encher a cara só aumenta a sensação de vazio que vem dobrada na ressaca - aliás em qualquer tipo de ressaca e você se sente mais lixo ainda. os olhos ficam mais tristes e cansados ainda e de um jeito assustadoramente sem vida.
Cansei até de beber, não tenho mais nenhum prazer com isso - ou pelo menos ele é cada vez mais raro, mesmo com os amigos.
Bom, parece que a fase difícil se prepara para ir embora. Meu amor chegou em casa com um sorriso bonito estampado no rosto, ontem.
Assim, podemos, juntos, tocar mais um tempo de vida adiante. valeu aos amigos e um abraço apertado pro meu amor.

Ivan disse...

eu não bebo pra resolver nada. bebo pra beber.