9/14/2007

Aquelas canções fizeram realmente a diferença

Então. no próximo dia 11 de outubro, quinta-feira, véspera de feriado, completam-se dez anos desde que eu, o Igor e o Camarão nos reunimos pela primeira vez, para fazer um som na casa verde do campina do siqueira, e começar a história do que se tornaria o OAEOZ. E pra comemorar essa data mais que especial, é claro, faremos um show especialíssimo, no Porão Rock Clube, com a participação de alguns dos nossos grandes amigos e parceiros que fizeram toda essa história com a gente: Igor Ribeiro, André Ramiro, Rubens K, entre outros. Tocaremos músicas de todas as fases da banda, desde o começo, até hoje.
Está sendo muito legal relembrar antigas canções, que há muito tempo não tocávamos, e que marcaram esse período. Tem sido uma incrível viagem no tempo e na memória, e um prazer voltar a ouvi-las, e um prazer maior ainda por perceber que independente de qualquer coisa, elas continuam fazendo todo o sentido até hoje, mesmo depois de tanto tempo. Continuam dizendo coisas e despertando sentimentos e emoções incríveis pra gente. É o tipo de coisa que faz você sentir que todo o esforço não foi em vão afinal. Como diria o Rubens, “aquelas canções fizeram realmente (e continuam fazendo) a diferença”, mesmo que só pra gente. Então, pra ir esquentando, to postando aqui um exemplo daquilo que vocês poderão ouvir dia 11 no Porão: “Contato”, da primeiríssima demo do OAEOZ, lançada no longínquo 1998. Belíssima composição do Igor, uma das mais belas letras que eu conheço, e que me emociona até hoje ouvir e cantar versos como :

"a cidade dorme
pra ela poder dançar
no meio da rua
como uma onda movida pelo vento
como uma brisa que faz a onda se quebrar"


É muito bom saber que eu fiz parte disso. Que bem ou mal, a gente conseguiu produzir grandes canções como essa e muitas outras, que contam as nossas histórias, aquilo que a gente é, vive, sente, vê. E isso, ninguém pode tirar da gente. E voltar a ouvir, tocar essas músicas, só renovaram o meu prazer de fazer música e de tocar com esses caras. Me sinto como se tivesse começando tudo de novo. Foi engraçado ontem o meu "reencontro" com minha velha guitarra (que vendi pro Flávio e ele, gentilmente, me emprestou, valeu mesmo véio jacobsen) e o velho e abandonado pedal zoom reverb. Os velhos timbres voltando a soar de novo. que coisa maluca essa da música. como ela consegue capturar o tempo e as sensações, e de devolve-las de novo, todas lá, intactas. enfim, são essas coisas que fazem tudo valer a pena.

É isso, ouçam, cantem junto e vão ensaiando pro porão. Esperamos todos lá.

5 comentários:

giancarlo rufatto disse...

boa historinha. faz um best of ai e conta a historia de cada uma!

rkjazz disse...

botei um texto lá no blog. salut! e não com campari, pelo amor de deus não. abraço.

adri disse...

a trilha desse pedaço da minha vida... a trilha da minha. vida. me emocionei vendo o video do mario pra meg e john, e agora vem tudo isso, por conta do show d'OAEOZ. vcs vão acabar me fazendo chorar, desse jeito, porra...
tantas, tantas tardes bonitas, (nada de palavras vazias!), aquele show no Bar do Meio, rubens, o antigo kissy dance, a gente todo adocicado; a rosi, tadinha, com dor nas pernas de tanto trabalhar e ir direto pro show, e esses caras que não paravam de tocar... 3 horas, chapados...eu ainda não desisti de gravar o dusty, hein (devia ter escrito isso lá no blog do rubens...). OAEOZ, o que mais dizer desses caras, dessas canções que agarram a gente de uma maneira tão avassaladora. Eu sabia, desde o começo, da importância disso tudo, eu sentia que era uma brincadeira boba.. era a vida da gente sendo vivida. E é assim que a gente continua. Legal ver Ivan, camarão, rodri e igor tocando contato, recado, de inverno, waking up... belas músicas...desde o começo. obrigada por essas sensações que só OAEOZ é capaz de provocar ...

rkjazz disse...

que venha a Dusty então - agora estou (e estamos) mais que pronto (s). bjo, Adri.

marceloborges disse...

parabens oaeoz. ja passaram dez anos... muita saudade dos amigos de verdade. parabens.