12/04/2007

Da série "eu já sabia" - Mocambo premiado em festival Latinoamericano

Divulgação
Se não conhece o som do Mocambo, ouça no MySpace algumas músicas

"Mocambo", de Curitiba, foi a banda premiada em festival latino-americano de música

Com o prêmio, o grupo de hip hop que nasceu no Pilarzinho vai gravar disco e fazer shows em Nova Iorque

por GISELE ROSSI - GAZETA DO POVO ONLINE

“A ficha caiu quando saímos do Uruguai, mas ainda tá caindo”, comenta o músico Marcelo Marques, do grupo curitibano de hip hop Mocambo, que se prepara para uma temporada em Nova Iorque, nos EUA, no próximo ano. O motivo de uma temporada internacional para um grupo mal conhecido na cidade de origem? É a conquista do prêmio principal, o Gold Especial, no 1º Festival Internacional da Canção Sul Americana - Prêmio Equinoccio 2007, que teve sua grande final realizada no último dia 29 de novembro em Punta del Este, no famoso hotel resort Conrad, no Uruguai.
“A gente achava que poderia ganhar algum prêmio, na nossa categoria, mas ganhar o prêmio principal foi totalmente surpresa. Foi uma grande alegria. Tinha muita gente boa concorrendo”, avalia Marques, já em Curitiba, após a vitória com a canção inédita “Na Caranga”, na categoria hip hop, além da premiação principal.
Na categoria Balada, outro brasileiro, Zé Alexandre, do Rio de Janeiro, saiu premiado. O principal prêmio é a gravação de um disco, com os premiados em cada categoria, para ser divulgado mundialmente.
Mocambo
O grupo curitibano é composto por Diego Zamprogna Ferreira, Ronaldo Candido Fratti, Jean Carlos de Oliveira e Luciano Arthur, além de Marques, todos amigos de infância, que cresceram no bairro Pilarzinho e se juntaram para fazer hip hop em 1994. “São cinco caras loucos que gostam de músicas diferentes, mas que um ajuda o outro quando alguém tem uma nova canção começada”, define Marques, sobre o processo de criação da banda.
Hoje eles estão com idades entre 26 e 27 anos e nem todos moram no mesmo bairro, mas a convivência entre os integrantes do Mocambo facilita a vida do grupo, principamente em uma cidade com pouco espaço para o hip hop. O nome da banda é uma gíria nordestina para barraco. "Minha família é de nordestinos e a gente sempre falou mocambo pra se referir a barraco. Achamos o nome legal pra banda", contou Marcelo Marques.
Mesmo pouco conhecido, o grupo tem três CDs lançados indepentendes, e produzidos em estúdio caseiro, respectivamente em 2001, 2003 e o último neste ano com lançamento simumtâneo em vinil, “para atender os DJs”, lembrou o músico. A banda também já teve músicas gravadas em coletâneas na França, Itália e Espanha. “O nosso som puxa mais pro Raga (ritmo jamaicano) porque o hip hop realmente não tem muito espaço em Curitiba. O Raga também não, mas é um pouco mais popular”, explicou Marcelo, entusiasmado com o prêmio. Apesar de realizarem poucos shows em Curitiba, a banda tem se apresentado em Paranaguá e cidades de Santa Catarina e São Paulo.
Com a conquista do prêmio principal no Equinoccio 2007, o Mocambo vai gravar um CD e DVD em Nova Iorque, pela Lobo Recording Corporation, que também vai promover a banda por lá durante o ano de 2008. “É uma mudança radical. Aquele sonho mais difícil e distante está se realizando”, reconhece Marques. Com a mudança, os integrantes do grupo estão se organizando para passar pelo menos um ano nos EUA, mas a expectativa é que a temporada possa ser maior.

O prêmio
Artistas e grupos de dez países participaram da disputa, em semi-finais realizadas nos seus países, antes de chegar à grande final do último dia 29. No Brasil, a competição aconteceu em Curitiba, no teatro Fernando Montenegro. O evento latino-americano que teve início neste ano foi realizado pela Corporação Equinoccio Social e Cultural do Equador e pela Lobo Recording Corporation, de Nova Iorque, empresa dedicada à produção, gravação e promoção de artistas. No Brasil a promoção foi da Danilo D´Ávila Propaganda.
Foram inscritos trabalhos nas seguintes categorias: balada, música gospel, bachata, hip hop, merengue, pop, rock, salsa e, no caso específico do Brasil, samba (categoria Folclore Nacional). Puderam participar compositores, intérpretes e produtores musicais com idade acima de 16 anos, que necessariamente deveriam apresentar canções inéditas e interpretadas por artista desconhecido no mercado internacional.

Nota do blog: para quem não se lembra ou não sabe, o Mocambo foi uma das atrações do Rock de Inverno 6, que aconteceu em outubro de 2005, no antigo 92 graus. Parabéns a eles!

3 comentários:

rkjazz disse...

massa! parabéns pros caras.

Leo Vinhas disse...

Gostei muito do show deles no RI, mesmo não gostando nada de rap/hip-hop. Parabéns pra eles!

Anônimo disse...

e esses meninos são muito queridos, além de tudo.